Início > política > Eike Batista demonstra interesse em explorar reserva de terras raras em Araxá

Eike Batista demonstra interesse em explorar reserva de terras raras em Araxá


Fonte: Gustavo Machado – Brasil Econômico

Eike quer explorar reservas de minério “nobre” em Araxá

Reservas de neodímio descobertas em Minas Gerais podem transformar Brasil em grande produtor do metal

Há quinze dias, a curiosidade dos moradores de um pequeno município do triângulo mineiro – mas com grande potencial minerador – foi aguçada pela visita inesperada do homem mais rico do Brasil. Sem avisar o motivo da aparição, nem a razão do voo de helicóptero sobre Araxá, Eike Batista despertou a esperança, principalmente a do prefeito, Jeová Moreira da Costa, de que a cidade possa receber investimentos do bilionário carioca.

O município de cem mil habitantes possui a segunda maior reserva de terras raras – conjunto de 17 elementos essenciais (veja arte abaixo) para indústria de alta tecnologia – no país. De acordo com Fernando Landgraf, diretor do Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT), o território é rico em Neodímio. O metal é fundamental para a confecção de ímãs permanentes, conhecidos como super-ímãs, utilizados em discos rígidos para computadores.

O prefeito não quis se pronunciar sobre o evento, mas a sua assessoria esclareceu, em partes, o encontro entre o político e o empresário. “Não houve reunião. O prefeito apenas recepcionou o Eike Batista no aeroporto. Ele não disse qualquer motivo para estar ali”, afirma um responsável pelo departamento de comunicação da prefeitura.

Sem que a cidade tenha grandes atrativos visuais, além da sede da Companhia Brasileira de Metalurgia e Mineração (CBMM) e de uma mina de exploração da Vale, a prefeitura não possui grandes dúvidas sobre o interesse do voo panorâmico feito por Eike. “Pensamos que é por causa do Barreiro (local onde se encontra a jazida de minérios). Há a expectativa de serem feitos investimentos na cidade, mas não houve nenhum contato depois disso.”

Procurada pela reportagem do BRASIL ECONÔMICO, a EBX – holding que controla as empresas do grupo de Batista, inclusive o braço minerador MMX – não comenta o caso. Segundo a assessoria, projetos, prospecções ou rumores não são explicados pela companhia. A assessoria afirmou também que Eike saiu de férias após a viagem, o que também o impossibilitaria de comentar a visita.

Parceria
O empresário pode ter um parceiro de peso na empreitada. O grupo canadense MBAC, do ramo de fertilizantes, possui os direitos de exploração do local. O projeto intitulado Phosphate- Araxá, está em andamento há alguns anos, mas somente em 2011, a companhia protocolou junto o governo de seu país os estudos referentes ao local. A área de exploração de fosfato na cidade também abriga uma das maiores companhias de fertilizantes instaladas no Brasil, a Bunge.

A parceria com uma empresa interessada na exploração do fosfato de cálcio, cujo teor do terreno pode chegar a 50%, é determinante para viabilizar economicamente a extração do “fosfato de terras raras”, com teor de até 5% na região.

Os investimentos para a exploração são demasiadamente altos para utilizar apenas 5% do terreno, diz Fernando Landgraf, diretor do IPT. Entre os projetos em desenvolvimento no mundo, o australiano-Mountweld, da Lynas Corp. -, custou entre US$ 500 milhões e US$ 1 bilhão apenas para montar a operação de extração do fosfato e processamento para separar os diferentes metais.

Liderança global
De acordo com Romualdo Andrade, geólogo do Departamento Nacional de Produção Mineral (DNPM), apesar da jazida de terras raras em Araxá não ser a  maior no Brasil, é a composição do terreno o que atrai o setor industrial. “Os materiais concentrados naquela cidade enriquecem os produtos fabricados pela indústria, como o nióbio, o cério e o neodímio. Araxá possui grande concentração de carbonáticos, ricos em fosfato. As reservas de Catalão, em Goiás, a maior jazida no Brasil e superiores às da China, por exemplo, possui outra composição”, diz o geólogo.

A produção de neodímio por uma companhia brasileira pode colocar o país como um grande comercializador do produto. Atualmente, a China detém 97% do mercado mundial. Caso a jazida de Araxáseja explorada completamente em 40 anos, o Brasil pode chegar a deter 25% do mercado global.

Reservas de Goiás superam chinesa

Jazidas de terras raras em Catalão, Goiás, podem dar ao Brasil liderança nas reservas

Embora a China detenha 97% da comercialização global de terras raras, as reservas brasileiras são suficientes para, no longo prazo, alçar o país à condição de líder.

De acordo com Romualdo Andrade, geólogo do Departamento Nacional de Produção Mineral (DNPM), a maior jazida do Brasil está localizada no município de Catalão (GO), a qual supera todas as chinesas. “Temos outras jazidas, no Rio de Janeiro, além da de Araxá, em Minas Gerais, mas o grande potencial estratégico está em Catalão”, diz. As reservas da cidade goiana somam, comprovadamente, 119 milhões de toneladas, enquanto que as da China não superam 89 milhões de toneladas. “Disto, apenas 27 milhões de toneladas são comprovadas. O resto são prospecções”, diz. Em Araxá (MG), as reservas são de 1,29 milhão de tonelada. “Ainda não se fala em investimentos para explorar a área de Araxá.

Em outros locais, já existem empresas interessadas, inclusive com negociações em andamento”, diz Fernando Landgraf, diretor do Instituto de Pesquisas Técnicas (IPT). A outra reserva brasileira é a do Morro do Ferro, no município de Poços de Caldas (MG). Levantamento apresentado pelo pesquisador do Centro de Tecnologia Mineral, Francisco Eduardo Lapido Loureiro, informa que a jazida concentra 300 mil toneladas.

Anúncios
  1. Thiago leite
    24/01/2012 às 11:35

    Sua matéria está bem escrita, com exceção de 2 parágrafos. Não ficamos curiosos com a visita do Eike Batista. Na verdade, só ficamos sabendo da sua visita por meio da imprensa. Outro ponto, sabemos muito bem das intenções do empresário em Araxá, pois a existência da tal reserva de terras raras já é de conhecimento da população. Por último, a cidade conta com belos atrativos visuais, que atrai anualmente milhares de turistas de Brasília, São Paulo, Belo Horizonte, entre outras importantes cidades do país. Já ouviu falar do Complexo Arquitetônico do Barreiro? Grande Hotel? Dona Beja? Não, né.

    • Blog Jogo do Poder
      24/01/2012 às 13:38

      Só para esclarecer, este blog apenas reproduziu a matéria do repórter Gustavo Machado do jornal Brasil Econômico. A referida fonte está citada logo no início da matéria. Como morador de Minas, sabemos dos atrativos de Araxá e da sua história. A matéria sobre as minas de terras raras foi publicada na edição impressa do jornal. (http://www.brasileconomico.com.br/)

      Att,
      Redação do Blog Jogo do Poder

  2. glayer f. jordão
    26/01/2012 às 10:36

    26.01.2012
    Ei. espere um pouco aí. Em relação a reprodução da matéria do “Brasil Econômico”: sim, a visita inesperada do homem mais rico da América Latina, e oitavo do mundo, segundo a revista Forbes, como mineiro e araxaense, agusou-me e muito a curiosidade. Dona Beja, o complexo arquitetônico do Barreiro, Grande Hotel, doces, queijos, cachaça da boa e metais nobres somados a presença do pop star empresário Eike Batista por aqui são coisas raras e preciosas para se comentar. A respeito do voo de helicóptero sobre o muncípio, há coisas abaixo nestas “terras”, mais interessantes para Eike…o buraco está mais embaixo.

  3. Ligia Borges
    22/02/2012 às 20:30

    Araxá não faz parte do Triângulo Mineiro. Araxá é um município do ALTO PARANAÍBA, região que tem peculiaridades culturais diversas e rica que devem ser melhor exploradas. Além de suas riquezas naturais, paisagens típicas e clima agradável. Evidentemente que somos todos mineiros.

  4. nao interessa
    20/03/2012 às 11:48

    “Acredito que Araxá tem que ficar de zoiô o sr eike so vem enbargando terras na ganancia de crescer e entre aspas é o minerador de cultura negra que veio pra explorar….
    Eu ainda nao esqueci o Desastre Ambiental que sua Empresas Vem fazendo na minha querida terra natal de Conceição do Mato dentro, Nem os moradores… Vc tiro a liberdade de muitos trazendo para lugares que era reservas e eram NOS INTERIORES da capitais. vc esta tentando explorar metais de forma pacifica mas isso nunca aconteceu, nos sabemos das pessoas que foram despejadas ou maltratadas pelos seus seguranças ou que perderam o livre arbitrio de ser locomover habeas corpus em suas prioprias terras por contas de pesquisas Colononizadoras de seus geologos.
    Aviso a todos que quem mora na roça ja possui Ferro. PÀz senhor eike organizações privam a paz. A nossa esta Tentando te aceitar como magnata mas até onde seremos explorados? um dia o Veu quebrara.

  1. No trackbacks yet.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: