Início > economia, Investimentos, Minas Gerais, mineração, Siderurgia > Vale quer entrar no mercado de carvão da Índia e investe R$ 15 milhões em laboratório e coqueria piloto em Nova Lima

Vale quer entrar no mercado de carvão da Índia e investe R$ 15 milhões em laboratório e coqueria piloto em Nova Lima


Economia, Desenvolvimento Econômico, Minas Gerais

Fonte: Marcos de Moura e Souza – Valor Econômico

Vale aposta na Índia para vender carvão de Moatize

Um comissão de técnicos da Vale viaja esta semana para a Índia para prospectar clientes para o carvão que começou a produzir em Moçambique. A Índia é vista pela empresa como um importante potencial cliente. O país tem grandes grupos siderúrgicos e necessidade crescente de carvão. A Vale, no entanto, conhece pouco do perfil do mercado indiano.

A mina de carvão de Moatize, na província de Tete, Moçambique, começou a produzir em agosto. O primeiro carregamento foi vendido para um fundo de investimentos e a empresa diz que já há embarques programados para o Sudeste Asiático e para o Japão. Mas é a Índia merece atenção especial.

“Queremos desbravar o mercado da Índia. A exportação de carvão para lá traria uma vantagem logística pela proximidade com Moçambique”, disse Rogério Tales Silva Carneiro, gerente-geral de pesquisa e desenvolvimento de produtos e processos da Vale. O país tem grandes siderúrgicas, entre elas a Tata e Jindal Steel, e depende de importações de carvão.

O Ministério do Carvão indiano, segundo informa em seu site, prevê que até o ano que vem a demanda pelo insumo terá atingido 713 milhões de toneladas, enquanto a produção nacional será de 630 milhões. As 83 milhões de toneladas restantes provavelmente terão ser importadas, diz o ministério. Indonésia e China são alguns dos grandes fornecedores para a Índia.

A Vale pretende se tornar um “player” global no setor e está investindo US$ 1,65 bilhão na mina africana, cuja capacidade de produção nominal será de 11 milhões de toneladas por ano de carvão mineral e térmico. É o maior empreendimento da empresa em carvão. Suas principais concorrentes em minério de ferro, a BHP Billiton e a Rio Tinto, já exploram carvão e estão a sua frente neste segmento.

A Vale tem pouco know-how na Índia. “Não vendemos minério de ferro para a Índia e, portanto, é um mercado que não conhecemos bem”, diz o executivo. O país concorre com a Vale em minério.

Esta é a primeira missão técnica que empresa envia para lá para tratar de carvão. O objetivo é avaliar quais as necessidades das siderúrgicas indianas pelo insumo. “Conhecemos pouco as siderúrgicas deles e por isso essa missão específica”, disse Carneiro.

A empresa tem mais conhecimento sobre o Japão, um dos mercados prioritários para o carvão de Moçambique. O mesmo acontece com a Europa, embora este não seja prioridade inicial na estratégia de vendas de carvão, disse Carneiro. Além do Japão, o Brasil será outro mercado para as primeiras cargas de carvão de Moatize.

A Vale já produz carvão na China (onde tem participações minoritárias em duas joint ventures), Austrália e Colômbia. A mina de Moçambique colocará, no entanto, a empresa em outro patamar. Moatize é uma das maiores reservas carboníferas do mundo e seu carvão tem características de “premium”, o que significa que será comercializado numa faixa superior de preços, estima a empresa.

A Vale está investindo R$ 15 milhões na montagem de um laboratório exclusivo para análises do carvão e em uma coqueria piloto, que devem entrar em operação no fim de 2012. Ambos serão erguidos no Centro de Tecnologia de Ferrosos, na cidade de Nova Lima, na Grande Belo Horizonte.

O objetivo é oferecer aos futuros clientes informações detalhadas sobre o carvão para atender a demandas específicas. A empresa planeja vender minério de ferro e carvão num mesmo pacote, com informações e conhecimento sobre quais combinações produzem aço com características que atendam às necessidades dos clientes.

No terceiro trimestre, as vendas de carvão da empresa foram de US$ 284 milhões ante os US$ 256 milhões do segundo trimestre. O resultado reflete aumento tanto dos volumes quanto dos preços.

Anúncios
  1. Nenhum comentário ainda.
  1. No trackbacks yet.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: