Início > Energia, Gestão, Investimentos > Belo Monte: consórcio Norte Energia vai oficializar entrada da Cemig e Light na hidrelétrica

Belo Monte: consórcio Norte Energia vai oficializar entrada da Cemig e Light na hidrelétrica


Energia

Fonte: Josette Goulart – Valor Econômico

Cemig e Light serão confirmadas hoje como sócias de Belo Monte

A entrada da Cemig e da Light no consórcio Norte Energia, dono da concessão da usina hidrelétrica de Belo Monte, deve ser oficializada hoje pela assembleia geral de acionistas da concessionária, segundo fontes ligadas ao empreendimento. A informação foi antecipada pelo Valor há dois meses e já dava conta de que as empresas teriam, juntas, cerca de 10% do capital total da hidrelétrica, o que será confirmado hoje. Com isso, as duas companhias serão responsáveis por um investimento da ordem de R$ 3 bilhões no empreendimento.

A assembleia de hoje também deve referendar a ampliação da participação do fundo de pensão dos funcionários da Caixa Econômico Federal (Funcef). Desta forma, as empreiteiras deixam de ser acionistas do consórcio Norte Energia e permanecem apenas como prestadoras de serviços na construção das obras da usina. Desde que o Norte Energia venceu o leilão, no ano passado, a sociedade foi totalmente alterada.

A nova formação, que agora parece ser definitiva, terá na composição acionária, além de Cemig e Light, a Neoenergia, com 10%, os fundos de pensão Petros e Funcef – cada um também com 10% – e a Eletrobras e suas subsidiárias Eletronorte e Chesf, que, juntas, totalizam 49% da sociedade. Os autoprodutores de energia sócios de Belo Monte são a Vale, com 9%, e a Sinobras, com 1%.

Originalmente, o consórcio tinha uma empresa do grupo Bertin como o principal autoprodutor, além das construtoras OAS, Queiroz Galvão, J. Malucelli, Contern, Serveng, Cetenco, Galvão Engenharia e Mendes Júnior. As construtoras já tinham reduzido sua participação no período pós-leilão e ainda detêm juntas 12,5% da sociedade.

A entrada da estatal mineira no negócio foi toda “costurada” pela construtora Andrade Gutierrez, que detém 33% das ações da Cemig e é a empreiteira que lidera o consórcio construtor da usina. A Cemig e a Light (que tem a Cemig como principal acionista) devem formar uma sociedade de propósito específico para compor a sociedade. O negócio vai acrescentar 440 MW médios de energia, direta e indiretamente, ao portfólio da Cemig. Em capacidade instalada serão mais de 1.000 MW. A empresa já é sócia da Eletrobras na usina hidrelétrica de Santo Antônio, que está sendo construída pela Odebrecht e Andrade Gutierrez no rio Madeira, em Porto Velho. Se considerada a Light isoladamente, a capacidade instalada da empresa vai saltar de 855 MW que tinha no fim de 2010 para 1.400 MW quando a usina estiver em pleno funcionamento.

A usina hidrelétrica de Belo Monte terá no total 11.233 MW de capacidade instalada e está sendo construída próximo à cidade de Altamira, no Pará. Os donos do empreendimento, entretanto, ainda terão que enfrentar uma série de ações judiciais que estão sendo promovidas pelo Ministério Público Federal, que tenta embargar a obra.

Anúncios
  1. Nenhum comentário ainda.
  1. No trackbacks yet.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: