Início > política > Comércio Exterior: Antonio Anastasia encerra visita à India e fortalece comércio bilateral no setor de aço e tecnologia da informação

Comércio Exterior: Antonio Anastasia encerra visita à India e fortalece comércio bilateral no setor de aço e tecnologia da informação


 Fonte: Agência Minas

Governador Antonio Anastasia encerra viagem à Índia

O governador Antonio Anastasia encerrou nesta terça-feira (18), sua viagem oficial à Índia. Em Nova Delhi, Anastasia se encontrou com o ministro de Comércio e Indústria, Jyotiradditya M. Scindia. Na avaliação do governador, a reunião foi muito importante para o cumprimento do objetivo da missão, de estreitar os laços comerciais e institucionais e incrementar o comércio bilateral entre Minas Gerais e o país asiático.

“Durante a reunião, pudemos ouvir e relatar, de forma muito objetiva, quais são os pontos comuns de interesse entre Minas Gerais e a Índia, como as questões do agronegócio, do aço, automóveis, tecnologia, gás, energia e outros segmentos. Então foi muito positivo, porque pudemos perceber um grande interesse da Índia por Minas Gerais e as possibilidades de fazermos negócios. Foi uma visita fundamental, porque o ministro aceitou, inclusive, nosso convite para visitar Minas Gerais e conhecer melhor uma realidade sobre a qual ele já mostrou conhecimento”, afirmou Anastasia, que estava acompanhado pelo embaixador do Brasil na Índia, Marco Antônio Brandão.

O ministro indiano revelou o comprometimento de sua pasta com a América Latina e o Brasil, mercados prioritários para seu país que busca o desenvolvimento de programas de exportação e de acolhimento de empresas e novas tecnologias da região. Para Scindia, a definição de setores prioritários, como aço e tecnologia da informação, é o primeiro passo para que o intercâmbio entre Minas e Índia se intensifique.

“A interação entre as duas economias já existe e é importante que aproveitemos essa sinergia para levarmos adiante os negócios. Conheço a diversificação da indústria mineira e será importante para nós estabelecermos cada vez mais parcerias, que é o caminho que acreditamos ideal para o desenvolvimento dos mercados emergentes”, disse o ministro.

Ao final da reunião ficou acertado o envio, até o mês que vem, de um relatório do Ministério de Comércio e Indústria indiano ao Governo de Minas, baseado no encontro desta terça-feira, com a avaliação e as indicações das possibilidades mais fortes de negócios identificadas.

Em Nova Delhi, Anastasia se reunira, na segunda-feira, com o secretário para América Latina e Caribe do Ministério de Assuntos Estrangeiros da Índia, Dammus Ravi.

“Além de informar ao secretário os resultados de nossa viagem até então, tratamos das questões comerciais entre Índia e Brasil, que vão se aprofundando, e certamente terão Minas Gerais como um parceiro preferencial”, explicou o governador.

À noite, a comitiva do Governo de Minas foi recebida na residência do Embaixador Marco Antônio Brandão para um coquetel, que contou com a presença de diversos embaixadores, entre eles, do Uruguai, Peru, Venezuela, República Dominicana e Portugal.

Balanço da viagem

Em seu balanço da viagem, Antonio Anastasia ressaltou a identificação e a confirmação das semelhanças entre a Índia e o Brasil, especialmente Minas Gerais, como fator primordial para que os resultados da missão sejam alcançados.

“Destaco como ponto principal uma identidade muito forte entre a Índia e Minas Gerais, sob o ponto de vista econômico. As oportunidades são semelhantes na medida em que nós temos, de fato, um mercado interno consumidor em crescimento, uma classe média emergente tanto no Brasil, quanto na Índia e um estágio de desenvolvimento parecido. Minas Gerais, que é um retrato, um espelho do Brasil, portanto, apresenta áreas de interesse econômico que podem, de fato, representar investimentos importantes da Índia em nosso Estado. A área de tecnologia, de aço e automóveis, de fertilizantes, a área de cimento, de energia, agora com a descoberta do campo de gás, tudo isso foi discutido aqui pelo Governo e também pela delegação empresarial muito expressiva, nos mais diversos segmentos, que apresentaram novas ideias de cooperação e de um entrosamento maior. A missão, portanto, me parece muito bem sucedida, fico muito feliz e satisfeito pela sua conclusão e tenho certeza que teremos frutos muito positivos em breve tempo naquilo que aqui discutimos”, afirmou o governador.

Para o cônsul honorário da Índia em Minas Gerais, Élson Gomes, a missão do Governo de Minas pode ser considerada um marco histórico nas relações do Brasil com a Índia. “Com a presença de um grupo muito forte, mais de 60 representantes de diversos setores econômicos, e sua capacidade pessoal e institucional, o governador conquistou tanto os empresários, quanto as autoridades indianas. Ele realmente colocou as portas de Minas Gerais abertas para a Índia e, a partir de agora, certamente os empresários que o acompanharam darão continuidade às negociações para atrair investimentos para Minas”, disse o cônsul.

O Embaixador Marco Antônio Brandão concorda e ressalta o crescimento e o dinamismo da economia indiana e a qualidade dos encontros mantidos pelo governador na Índia. “A Índia é hoje uma grande potência econômica, que se expande para o exterior. O governador teve encontros com personalidades, eu diria, as mais importantes do mundo empresarial indiano. Foram detectados nichos de oportunidade e a demonstração de interesse por parte do Governo de Minas de não só contar com investimentos daqui, mas também de ajudar no desenvolvimento indiano foi importantíssimo para que as negociações tenham continuidade na sequência dessa viagem”, afirmou o embaixador.

Suíça

Nesta quarta-feira (19), Anastasia desembarca na Suíça para uma visita de três dias. O governador visitará corporações já instaladas em Minas Gerais, como Holcim, ABB e Nestlé e também a fabricante de chocolates Lindt, sem presença no Brasil.

“Faremos contato com empresas suíças, já que nossa obsessão continuará sendo e será, até o final de nosso mandato, a geração de empregos de qualidade. Algumas já instaladas em Minas Gerais, como a Holcim, a ABB e a Nestlé e também aquelas que não têm indústrias no nosso Estado, como a Lindt, que ainda não está no Brasil, para pesquisar possibilidades”, concluiu.

Anúncios
  1. Nenhum comentário ainda.
  1. No trackbacks yet.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: