Início > economia, emprego, Gestão, Governo, Meio Ambiente, Social, Trabalho > Economia Solidária: Governo Anastasia fortalece segmento com implementação de feiras regionais em Minas

Economia Solidária: Governo Anastasia fortalece segmento com implementação de feiras regionais em Minas


Troca de experiência norteia feiras regionais de economia popular solidária

Fonte: Agência Minas

UBERLÂNDIA (22/08/11) – A Secretaria de Estado de Trabalho e Emprego (Sete) realiza entre os dias 26 e 28 de agosto mais uma Feira Regional de Economia Popular Solidária. Dessa vez, empreendimentos das regiões do Triângulo Mineiro e Alto Paranaíba poderão participar, em Uberlândia, do evento voltado para estimular a troca e comercialização de produtos e matérias-primas.

Também receberão a feira as cidades de Teófilo Otoni (Vale do Mucuri – 8 a 10 de setembro); Montes Claros (Norte de Minas – 15  a 17 de setembro); Araçuaí (Vale do Jequitinhonha – 23 a 25 de setembro); Juiz de Fora (Zona da Mata – 6 a 08 de outubro); Paracatu (Noroeste de Minas – 13 a 15 de outubro); Alfenas (Sul e Sudoeste de Minas – 20 a 22 de outubro); Janaúba (Norte de Minas – 3 a 5 de novembro); Governador Valadares (Vale do Rio Doce – 10 a 12 de novembro); Almenara (Vale do Jequitinhonha – 17 a 19 de novembro); e Belo Horizonte (Região Metropolitana – 7 a 10 de dezembro).

Encontro em Lavras

A última Feira de Economia Popular Solidária foi realizada no final de semana passado (19 a 21 de agosto), no município de Lavras e contou com a participação de empreendimentos de Barbacena, Barroso, Congonhas, Dores de Campos, Lavras, Ouro Preto, Poços de Caldas, Ritápolis, São Tiago e Tiradentes.

Presente na abertura da feira em Lavras, o secretário de Estado de Trabalho e Emprego, Carlos Pimenta, reiterou a importância das feiras e acrescentou que o apoio da secretaria aos empreendimentos populares solidários não se restringe aos três dias do evento.

“Hoje temos aqui 40 barracas, mas queremos que esse número seja de 400. Para isso, temos ações constantes de qualificação e capacitação das famílias e grupos que sobrevivem da manufatura artesanal. Além disso, estamos trabalhando na criação dos Centros Públicos de Economia Solidária, que serão espaços de comercialização permanente e vão beneficiar ainda mais as famílias empreendedoras”.

Durante o encontro, o presidente da Associação Lavrense dos Artesãos e Arte Culinária, Agnaldo Souza, destacou a solidariedade, incentivo e integração como marcas principais da feira. “Essa soma de fatores é o que nos impulsiona”, afirmou.

Para a artesã de Tiradentes Luzia Batista da Silva, as feiras, muito além de aumentar a visibilidade do empreendimento e as vendas dos produtos, proporcionam o intercâmbio de informações e o convívio com as mais diversas representações culturais. “Essa não é somente uma forma de economia, é um conjunto de descobertas de talentos e a oportunidade de conhecer pessoas, municípios e diferentes tipos de arte”, ressaltou.

Anúncios
  1. Nenhum comentário ainda.
  1. No trackbacks yet.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: