Início > Artigo, economia, Gestão, Governo, política > Artigo: Marcus Pestana diz que o Brasil precisa fazer reformas profundas para não ser afetado pela retração na economia mundial

Artigo: Marcus Pestana diz que o Brasil precisa fazer reformas profundas para não ser afetado pela retração na economia mundial


 A crise americana, a Europa e o Brasil no meio do mundo

Fonte: Artigo Marcus Pestana – O Tempo

O mundo inteiro acompanhou o dramático desenrolar das negociações do presidente Obama com o Congresso norte-americano, visando à ampliação do teto de endividamento do governo dos EUA. O desenvolvimento da maior economia do planeta tem se ancorado em enormes déficits fiscais e comerciais, que resultam num crescimento acelerado da dívida pública, que bateu nos 100% do PIB. Os efeitos de uma moratória americana seriam imprevisíveis. Afinal, o combalido dólar ainda é a moeda de referência da economia global. A desconfiança generalizada sobre a capacidade de pagamento dos EUA poderia desencadear um movimento de pânico de resultados inimagináveis. No mundo globalizado, de mercados financeiros integrados, a quebra de confiança na nação líder teria efeitos violentos na retração da economia mundial e do comércio internacional.

Para agravar, a Europa atravessa profunda crise, sem perspectivas de recuperação imediata. A crise arrastou Grécia e Irlanda, invadiu Portugal e Espanha. A próxima vítima pode ser a Itália. Déficits fiscais insustentáveis, taxas de crescimento medíocres, desemprego nas alturas e lideranças políticas fragilizadas para promover verdadeiras reformas formam um quadro explosivo.

A crise dos nossos dias tem características peculiares. Assim como a de 1929 e diferente das décadas de 1980 e 1990, começa do centro para a periferia. A velocidade de propagação potencial é muito maior, já que temos uma inédita integração dos mercados e uma possibilidade limitada de políticas nacionais autônomas. Por último, os efeitos da crise mundial sobre países como a China, a Índia e o Brasil, foram menores que no capitalismo central.

Mas não podemos dormir sobre os louros de vitórias provisórias. Uma grande retração na economia mundial, com suas repercussões no comércio internacional e no fluxo de capitais, pode resultar em efeitos que seguramente não serão meras marolinhas.

E o Brasil dentro desse mundo em crise? Temos aspectos positivos. A economia brasileira se reestruturou após o Plano Real. Temos reservas e somos o quinto país que mais recebe investimentos estrangeiros. Temos uma balança comercial positiva e uma inflação razoavelmente sob controle. Mas nem tudo são flores. Temos a maior taxa de juros real do mundo, que atrai dólares e resulta em moeda extremamente valorizada e em perda de competitividade de nossas exportações.

Há uma clara desindustrialização e nossas exportações são sustentadas por produtos primários, que usufruem de preços momentaneamente favoráveis. A equação fiscal ainda é precária e a taxa de investimento baixíssima. Uma grave retração do comércio internacional e do fluxo de capitais nos colocaria em posição delicada. Assistimos à tomada de medidas pontuais, mas as reformas profundas que poderiam desatar os nós do crescimento não têm encontrado apoio suficiente. Ou fazemos o dever de casa, preparando o futuro ou podemos ver escoar pelo ralo as conquistas alcançadas nos últimos 17 anos.

Link do artigo: http://www.otempo.com.br/noticias/ultimas/?IdNoticia=178909,OTE&busca=a%20crise&pagina=1

Anúncios
  1. Nenhum comentário ainda.
  1. No trackbacks yet.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: