Inicial > política > Golpe baixo: Sérgio Cabral passa o Dia do Servidor para segunda-feira e tenta esvaziar a zona sul carioca, reduto de Serra

Golpe baixo: Sérgio Cabral passa o Dia do Servidor para segunda-feira e tenta esvaziar a zona sul carioca, reduto de Serra


Cabral cria feriadão pós-eleitoral no Rio

Fonte: Plinio Fraga e Janaina Lage – Folha de S. Paulo

Governador passa o Dia do Servidor para segunda-feira e tenta esvaziar a zona sul carioca, reduto de Serra

Medida permite quatro dias seguidos de folga e estimula eleitores de renda mais alta a viajar no dia da votação

O governador do Rio, Sérgio Cabral (PMDB), criou um feriadão nos dias seguintes ao final de semana do segundo turno para tentar ampliar a abstenção em reduto do tucano José Serra, a zona sul da capital fluminense.

Cabral adiou de amanhã para segunda-feira, dia 1º, a comemoração do Dia do Servidor Público no Estado.

Na terça é Dia de Finados, o que, somando-se ao final de semana, dá quatro dias sem trabalho para os fluminenses, estimulando que eleitores de renda mais alta deixem o Rio na eleição.

Cobrado pelo presidente Lula por ter tido 1,5 milhão de votos de eleitores do Rio a mais do que Dilma Rousseff no primeiro turno, o governador afirma que suas pesquisas internas dão hoje uma frente no Estado de 2,1 milhões de votos para a petista em relação ao tucano.

ANTIGA ESTRATÉGIA
Em favor de Dilma, Cabral repete estratégia que assegurou a vitória de Eduardo Paes (PMDB) contra Fernando Gabeira (PV) na disputa pela Prefeitura do Rio em 2008, com uma diferença mínima de 55 mil votos.

Em 2008, Cabral antecipou o feriado e facilitou uma debandada da cidade, fazendo com que a eleição tivesse abstenção de 20,25%, a maior desde 2000.

Na zona sul do Rio, que em 2008 era reduto de Gabeira e neste ano é de Serra, a abstenção foi de 25,78% naquele ano; já na zona oeste, onde Eduardo Paes era mais forte e hoje Dilma domina, o índice foi de 17,90%.

Serra ficou em primeiro na zona sul do Rio no primeiro turno, e Dilma, em terceiro.

Na zona oeste, as colocações se inverteram. Resumindo, o feriado amplia a abstenção em áreas em que o tucano é mais forte e não muda significativamente o comparecimento em regiões em que a petista é hoje mais forte.

Em Estados administrados por tucanos, como Minas e São Paulo, o feriado do Dia do Servidor foi antecipado para a segunda passada.

Pelo menos outros oito Estados já comunicaram o adiamento da comemoração do Dia do Servidor, endossando a estratégia do feriadão pró-Dilma, que tem mais eleitores entre os mais pobres e menos entre os mais ricos -estes, em tese, os que mais viajam nos feriadões.

Para tentar ganhar votos no Rio, a campanha de Serra abriu conversas com o ex-governador Anthony Garotinho (PR), o deputado federal mais votado do Estado, com 695 mil votos.

Garotinho, cujo partido faz parte da coligação de Dilma, só declararia voto no tucano caso o depoimento fosse levado para a TV. Serra teme se desgastar com a alta taxa de rejeição ao ex-governador.

Garotinho também conversou com Dilma e reclamou que o principal aliado da candidata no Estado, o governador Cabral, estaria “se movimentando” em Brasília para que sua candidatura seja impugnada nos tribunais.

Em e-mail que distribui a evangélicos e que assina como “irmão Garotinho”, o ex-governador do Rio faz campanha velada contra Dilma.

“Não devemos confundir mudança de opinião com oportunismo político. Como pode alguém que a vida inteira declarou não acreditar em Deus, ser a favor do aborto, defender as causas dos homossexuais, lésbicas e travestis, mudar repentinamente de opinião?”, escreve.

Anúncios
  1. Governo do Estado do Rio de Janeiro
    27/10/2010 às 15:54

    A Secretaria de Estado da Casa Civil do Rio de Janeiro esclarece que a transferência do feriado do Dia do Servidor Público de 28/10 (quinta-feira) para 01/11 (segunda-feira), determinada pelo decreto 42.661, de 19/10/10, do governador Sérgio Cabral, segue o disposto no inciso XI do art. 1º da Portaria nº 834, de 06 de novembro de 2009, publicada no Diário Oficial da União de 09/11/2009. Por meio dessa portaria, a Secretaria Executiva do Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão estabeleceu o dia 01 de novembro de 2010 para as comemorações alusivas feriado mencionado. Assim como o Rio de Janeiro, a maioria dos estados seguiram a recomendação da Portaria.
    A medida nada tem a ver com o calendário eleitoral. Tanto é assim que, em 2009 (ano em que não houve eleição), o dia 28/10 caiu em uma quarta-feira e, seguindo decreto do governador, foi comemorado na segunda anterior (26/10) – emendando, portanto, com o fim de semana. Em 2008, o feriado, que cairia na terça-feira, foi antecipado para a segunda. Como esclarecido pelo Governo do Estado na ocasião, se naquele ano o objetivo da mudança fosse “criar um feriadão” após o domingo das eleições municipais, o Estado, em vez de antecipar o gozo do feriado, teria determinado ponto facultativo no próprio dia 27 de outubro (segunda), a fim de estendê-lo ainda mais.
    Além de seguir a recomendação da já citada Portaria, o objetivo da medida é sempre evitar que haja um dia útil entre o domingo e o feriado. A experiência mostra que em situações como essa há diminuição da produtividade dos servidores.
    Cabe ressaltar ainda que o Governo do Estado entende que não há fatos nos quais é possível se basear para dizer que, em um feriado, os funcionários estaduais eleitores de um candidato viajariam e os do outro candidato permaneceriam no Rio.
    Em 2007, o Dia do Servidor Público caiu em um domingo.

  1. No trackbacks yet.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: